segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Aventuras de Um Turismólogo - Turismo LGBT

Hey aventureiros, tudo bom? Vamos começar mais uma semana de assuntos inéditos no blog? Hoje (essa semana) irei falar sobre turismo LGBT , como ele é um setor em grande crescimento no mercado turístico e como sabermos se o mercado esta apto para receber o turista LGBT. Há algum tempo atrás eu fiz um post em que mostrava uma cartilha para atender melhor o turista LGBT que vou deixar aqui para vocês. E hoje venho falar a minha opinião sobre turismo LGBT.


Como vocês já devem saber (ou não) eu sou gay e me descobri assim a partir dos meus 15 anos de idade e agora com 26 (fiz dia 11/10, a proposito) estou em um relacionamento estável de quase 5 anos. Por causa do meu relacionamento viajamos bastante, procuramos conhecer lugares novos e destinos bacanas, para trazer aqui para o blog e também para absorvermos a cultura do local, então desde o nosso primeiro mês de namoro viajamos juntos. Nossa primeira viagem foi para Petrópolis para comemorar 2 meses de namoro e sim eu fiquei com medo do que o pessoal da pousada fosse falar ou achar por serem dois homens hospedados no mesmo quarto e a experiência foi a melhor possível.  Ninguém da pousada olhou para nós com uma cara estranha ou coisas do tipo e quando falamos que estávamos lá comemorando o nosso aniversario ainda deram dicas de passeios e coisas para se fazer a casal e ali eu tive certeza que os meios de hospedagem estão sempre preparados para atender os turistas, mas o fator muito importante é que não depende do meio de hospedagem, mas sim do atendente/gerente/recepcionista. Pois pensa comigo, do que adianta um hotel ou estabelecimento ter uma bandeira gay friendly se os próprios funcionários olham de cara amarrada ou tratam mal.  Acho que o que todos precisam é respeitar o outro e ver que ter respeito pelo próximo é o que todos nós sempre devemos ter.  



Sei que algumas pessoas não respeitam por não entender como dois homens ou duas mulheres se beijam, mas independente disso devemos sempre respeitar a opção do outro, mas ai você deve estar se perguntando como isso influencia no turismo né? Como já falei ai em cima eu estou em um relacionamento e por causa disso sempre viajamos já conhecemos Búzios, Foz do Iguaçu, Petrópolis, Itacuruça, Salvador, São Lourenço, Miguel Pereira, Paty dos Alferes, Conservatória e outros lugares. Quando um turista é gay ele normalmente acaba pagando um pouco mais caro por um conforto e para evitar olhares (me deixa explicar melhor, normalmente se você fica em um hotel um pouco mais caro, os funcionários já estão acostumados a receber turistas gays sendo assim não terá aquele climão) e se sentir bem naquele destino escolhido. Mas nós sempre não deveríamos nos sentir assim em qualquer lugar? Há algumas semanas atrás eu estive um uma palestra sobre Turismo LGBT e alguns fatos não bateram com as coisas que eu tenho na minha mente e por isso resolvi dividi-los aqui com vocês também e queria realmente que vocês parassem para analisar um pouco comigo. Todo turista gay gosta de balada? Todo turista gay gosta de praia? Todo turista gay é sarado e precisa mostrar sempre o seu corpo? A resposta para todas há essas perguntas é um grande NÃO. Então porque todo roteiro lgbt sempre parece que somos fúteis e superficiais? Isso será que é mais uma forma de preconceito dentro de um nicho? Sei que nem todo gay é sarado, gosta de musica eletrônica e precisa ficar sendo notado o tempo todo. Existem vários tipos de comunidades dentro da sigla LGBT que com certeza vocês já sabem e eu não preciso ficar falando sobre isso aqui né. 


Mas ai a pergunta volta o porquê o turismo LGBT é um nicho no turismo está sempre em crescimento? E a resposta é simples porque muitos mais gays conseguem a oportunidade de viajar e se desligar um pouco do mundo deles, seja para férias, comemorar aniversários de namoro ou simplesmente para conhecer gente nova. O único problema do turismo LGBT são os rótulos que ele possui que precisam ser quebrados e também existem varias cidades que levantam a bandeira da causa LGBT (que é o post de quarta-feira) e que fazem com o capital da cidade seja investido nesse tipo de turismo e que fazem com o turista não sinta/perceba olhares maldosos, risinhos ou comentários, isso faz com o turista queria conhecer esse lugar, que são chamados gay-friendly (mas na opinião desse aventureiros aqui, todos os lugares devem ser gay-friendly). Eu mesmo depois que voltei de cada destino e fui bem recebido por ser gay sempre recomendo o lugar e a pousada/hotel em que eu estive.
 O turismo Lgbt é um nicho turístico que esta sempre em expansão e temos que ficar de olho para que todo turista gay se sinta confortável no destino escolhido e para isso temos que abrir nossas mentes e deixar o preconceito de lado. Espero que vocês tenham entendido o meu ponto de vista do turismo LGBT e essa semana ainda vão sair mais dois posts sobre turismo lgbt um quarta-feira e outro na sexta-feira. Então fiquem ligadinhos ok aventureiros. Espero que vocês tenham gostado do post. Um beijo e até a próxima aventura!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meus Aventureiros