quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Aventuras de um Turismólogo no Rock in Rio

Oi aventureiros olha quem apareceu a “MARGARIDA” #SQN. Voltei  e já vou direto ao assunto hoje vamos falar sobre a aventura que eu vivi no final de semana de 26 e 27 de setembro. Essa aventura tem um gostinho especial, pois até os 45 minutos do segundo tempo eu não ia e de última hora resolvi ir e fomos viver essa loucura e jornada dupla de ir a dois dias seguidos ao Rock in Rio. Então a aventura de hoje e ir ao final de semana de encerramento do Rock in Rio 30 anos.




Dia 26/09/15 – Come here rude boy, boy. Can you give it up? 



Chegamos à Cidade do Rock por volta de 15h, pois paramos para almoçar em Madureira já que a maratona seria longa e afinal esse dia era o dia da Rihanna bebê, como eu estava ansioso para ver o “novo show” e sentir novamente como era estar naquela multidão e ainda mais porque eu fui com um grupo de amigos que acabamos nos perdendo um do outro no final na hora do show, mas o que valeu e que ficamos juntos a maior parte do dia. E tão bom aproveitar com os amigos que o dia passa voando. Mas a espera do show foi enorme e finalmente  o Lulu Santos e movimentou a cidade e então quando o Catra entrou a multidão foi ao delírio, mas isso eu acho que quase tudo mundo sabe. Nos outros shows daquela banda da menina de cabelo azul (era azul mesmo?) e do Sam nos fomos dar uma volta e sentar um pouco para guardar energia para a Riri e foi nessa hora que eu encontrei o meu casal de blogueiros favoritos que são o Paulo e a Fran do blog Capitão Zeferino (eles foram tão simpáticos comigo que não queria sair de lá e gostaria de ficar batendo papo com eles). Também conheci a dançarina da Anitta a Arielle Macedo que estava dançando no Palco street e como ela é fofa e linda, parecia uma boneca. E finalmente o momento mais aguardado do dia aconteceu e com aquelas luzes vermelhas e roupa de saco de lixo amarela ela entrou no palco e foi um hit atrás de outro até ficarmos sem fôlego por cantar e gritar demais no show. Acho que a duração total do show foi de 70 minutos, mas que pareceu que foram 15 de tão rápido que a sensação do show estava. Quando as luzes se apagaram e os fogos começaram tivemos a certeza de que o show havia acabado. Então pegamos o nosso BRT e voltamos para casa. Chegamos em casa por volta de 5h da manhã, eu e o Erick tomamos banho e apagamos. Pois no dia seguinte a nossa aventura continuava. 







Dia 27/09/15 - Kiss me, ki-ki-kiss me. Infect me with your loving, fill me with your poison




 No dia 27 eu já acordei sem um pouco da voz e com uma vontade de querer ficar na cama mais um pouco, mas era o dia da Katheryn e para quem não sabe (eu sou LOUCO PELA KATY, ainda lembro a primeira música e o primeiro show que eu escutei e vi dela e sem falar que a música dela é o tema meu e do Erick, afinal todo casal tem a sua música) só fui realmente nesse dia por causa dela. Como eu queria pegar um lugar bom para ver o show saímos de casa por volta de 11h30, almoçamos em casa e partimos para a RIR e dessa vez levamos uma canga para colocar no chão por causa do calor que estava realmente de matar ou queimar qualquer um. Nesse dia chegamos antes dos portões abrirem e fomos direto para um dos brinquedos. Andamos bastante pela cidade do rock e aproveitamos cada segundo do segundo dia, por mais que estivéssemos cansados tudo estava indo muito bem. Estávamos em um local ótimo, fizemos amizades e até que caiu a primeira de muitas gotas do céu logo após o show do Cidade Negra e olha foi uma tremenda chuva de raios e muita, mas muita água caindo do céu e a canga que era para evitar o calor estava ajudando a espantar um pouco do frio. O show do A-ha e da AlunaGoerge eu nem prestei atenção por causa da chuva mas quando a Katy entrou e eu ouvi e vi aquela voz e os olhos azuis valeu muito a pena esperar igual a um pinto molhado por aqueles momentos incríveis ao lado dão mozão e vendo a Katy de pertinho não teve preço.  Eu gritei, chorei, cantei e vivi aquele show incrível que foi o da katy. Então quando ela se despediu tudo veio à tona e todo o esforço que passamos nesses dois dias, pena que nem tudo foram flores. Agora vamos para a parte ruim ou pior do festival que foram as filas, as comidas , o aplicativo Bloom e a peregrinação no BRT.






Partes ruins do Rock in Rio 


A ideia do aplicativo Bloom era ótima só que ele não funcionou devidamente como esperado, afinal as filas estavam enormes  e os horários eram pré estabelecidos pelo pessoal do Rock in rio então vocês imaginem a confusão.  Outro fator negativo foi a comida afinal estava tudo muito caro ( tinham varias opções de comida que iam a uma porção de batata frita por RS15,00, uma pizza brotinho do dominós por R$20,00, um suco de frutas por R$12,00) então da para ter uma noção dos valores né. E por último só que não menos importante temos a peregrinação do BRT que fez com que andássemos quase 2 km cansados depois de passar todos os shows em pé ou de ficar molhado igual pintos na chuva. E ainda andar bastante para pegar um BRt lotado foi um sacrifício e na ida andar 2Km embaixo de um sol forte foi um fator muito negativo do Rock in rio. Mas resumindo tudo foi uma experiência nova e maravilhosa  e bastante, mais bastante cansativa e talvez eu deixe a pergunta no ar. Sera que eu estou ficando velho para essas coisas ou o Rock in Rio que está cada vez mais cansativo? Então aventureiros essa aventura termina aqui e em breve teremos novidades e muitas outras surpresas. Bjos e até a próxima aventura.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meus Aventureiros