quarta-feira, 28 de maio de 2014

O que ler na viagem

Oi amigos, estamos aqui de novo falando sobre dicas para ler na viagem. Hoje venho com um livro de um dos meus autores favoritos e já li todos os seus livros sendo os meus favoritos Fortaleza digital, Símbolo perdido e o Inferno. Sim amigos estamos falando dele do senhor Dan Brown. Sempre amei os livros do Dan (  o intimo) por ele conseguir me levar a sempre acreditar em tudo oque ele escrevia e sempre me prender na historia. Acho que livro bom e assim. Aquele que te prende e você nem percebe as horas passando.
Então amigos a dica do oque ler na viagem hoje está falando do livro Inferno, que se passa na Italia com o senhor Langton completamente desmemoriado e sem o seu famoso relógio do Mickey ( fãs entenderam) e a trama começa a partir dai. E nesse meio tempo o professor tem que desvendar toda a historia que se passa. 




Acho que já falei bastante( até pq li esse livro já e o Eleanor ainda não havia lido) mas mesmo assim trouxe uma resenha para ficar mais explicadinho para vocês( vou tentar escrever uma resenha do livro que estou lendo no momento quem sabe fica boa) . Como sempre eu retiro as resenhas do blog Brincando com livros. Então vamos a ela, sempre lembrando que quase toda resenha contem um pouquinho de spoilers. Bjos e até a próxima O que ler na viagem!  



Aqui o nosso protagonista 'sabe-tudo', Robert Langdon, já começa mais uma aventura, mas de forma diferenciada. O leitor já é imerso dentro do universo de Langdon, que não se recorda dos últimos 3 dias da sua vida, sem seu famoso relógio do Mickey Mouse (algo que o deixa bastante chateado, é hilário), está com um ferimento na cabeça e alguém está tentando tirar sua vida. Com a ajuda da bela médica Sienna Brooks (que sempre tem ótimas ideias e o livro tem um charme total por causa dela), Robert descobre que está na Itália e tenta fugir do seu possível executor.

Aliada a essa perseguição, Robert tem um novo enigma nas mãos: descobrir a correlação da obra de Dante, Inferno (de 'A Divina Comédia'), o problema que a OMS enfrenta de superpopulação e um vilão que já está morto. Todos os elementos necessários para dar a vida a uma trama eletrizante, certo? Certo, até certo ponto.

Diferente de suas obras anteriores, achei que Inferno tem um excesso de descrições históricas, que servem para situar o leitor. Uma duas e até três vezes dentro da leitura, para embasar as pistas encontradas por Robert, é aceitável. Depois fica tudo meio "demais", o que me deu uma profunda vontade de pular as páginas dessas explicações. Outra coisa é a justificativa para a inserção de Langdon nesse enredo. Ele é um professor de artes, o "melhor simbologista existente", mas achei forçado dessa vez seu envolvimento com a trama. Agora, o tema chama atenção e a superpopulação é um problema real, e que faz o leitor questionar bastante o 'bem x mal'.

Inferno prende a atenção e cumpre o seu dever de casa, apenas. Com uma ligeira modificação na ordem dos fatos na narrativa, para quem já "mata" a charada de Brown seguindo a linha de seus outros livros, esse tem até um diferencial e chega a surpreender. Mas nada de tão espetacular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meus Aventureiros